Cinco mil peregrinos de El Salvador encontraram-se com Francisco

Cidade do Vaticano, 15 out 2018 (Ecclesia) – O Papa recebeu hoje no Vaticano cerca de cinco mil peregrinos de El Salvador, que participaram para a canonização de D. Óscar Romero, que apresentou como “exemplo de predileção para os mais necessitados da misericórdia de Deus”.

“Santo Óscar Romero soube encarnar, com perfeição, a imagem do Bom Pastor que dá a vida pelas suas ovelhas. Por isso, e agora muito mais por causa da sua canonização, podem encontrar nele exemplo e estímulo”, declarou, um dia depois da cerimónia em que o mártir salvadorenho foi proclamado santo.

Os milhares de fiéis estavam acompanhados por vários bispos, sacerdotes, religiosos e religiosas.

O Papa recordou as dificuldades encontradas pelo novo santo, como o “flagelo da divisão e da guerra”.

“A memória de S. Óscar Romero é uma oportunidade excecional para enviar uma mensagem de paz e reconciliação a todos os povos da América Latina”, declarou.

Francisco assinalou que o arcebispo salvadorenho via o mundo a partir da “infinita misericórdia de Deus” e da “infinita miséria dos homens”.

“Queridos irmãos, esforcem-se, sem cessar, para realizar este infinito anseio de Deus de perdoar os homens, que se arrependem das suas misérias, e abrir os corações dos seus irmãos à ternura do amor de Deus, também mediante a denúncia profética dos males do mundo”.

O Papa sublinhou que D. Óscar Romero era uma figura querida pelo povo, que sabe “cheirar” a santidade e deu, simbolicamente, um abraço a Angelita Morales, que trabalhou para o novo santo nos últimos oito anos da sua vida, que dirigiu a todo de El Salvador.

OC

Na canonização de D. Óscar Romero

Partilhar:
Share