Francisco evoca guerra na Síria e emigração forçada das comunidades da região

Cidade do Vaticano, 12 fev 2018 (Ecclesia) – O Papa Francisco recordou hoje em duas intervenções, no Vaticano, a situação dos cristãos no Médio Oriente, muitas vezes forçados a abandonar a região.

“Penso nos nossos irmãos perseguidos no Oriente Médio, expulsos por serem cristãos… e eles fazem questão de ser cristãos: são pacientes como o Senhor é paciente”, disse, na homilia da Missa a que presidiu na Capela da Casa de Santa Marta.

Horas mais tardes, num encontro com os membros do Sínodo greco-melquita, o Papa aludiu ao “difícil momento histórico” de muitas comunidades cristãs no Médio Oriente, “chamadas a viver a fé no Senhor Jesus no meio de muitas provações”.

Francisco dirigiu-se em particular à população da “amada Síria” e aos que deixaram a região, emigrando “em busca de uma vida melhor”.

“Não deixarei de recordar, de maneira especial a Síria, atingida nestes últimos anos por sofrimentos indescritíveis”, assinalou, falando a respeito da jornada de oração e jejum marcada para 23 de fevereiro, nas comunidades católicas de todo o mundo.

OC

Partilhar:
Share