Irmã Leonella Sgorbati, missionária da Consolata, foi morta em 2006 por fundamentalistas islâmicos

Cidade do Vaticano, 27 mai 2018 (Ecclesia) – O Papa Francisco pediu hoje orações pela paz em África, evocando a irmã Leonella Sgorbati, missionária da Consolata, assassinada em 2006 por fundamentalistas islâmicos, que foi beatificada este sábado na Itália.

“Rezemos juntos pela África, para que haja paz”, pediu aos peregrinos e visitantes reunidos na Praça de São Pedro, para a recitação da oração do ângelus.

Francisco recordou a Beata Leonella Sgorbati, morta em Mogadíscio (Somália), falando numa vida “gasta pelo Evangelho e o serviço aos pobres” que, com o seu martírio, representam “um penhor de esperança para a África e para o mundo”.

Os presentes rezaram uma Avé-Maria com o Papa, que rezou depois a Nossa Senhora da África.

A religiosa italiana Leonela Sgorbati foi assassinada a tiro no hospital somali onde trabalhava; as suas últimas palavras foram “perdão, perdão, perdão”.

Francisco associou-se depois a uma jornada em favor das pessoas afetadas por doenças graves, na Itália, pedindo “solidariedade” e “ternura” para responder às suas necessidades, incluindo as espirituais.

A catequese inicial do encontro foi dedicada à festa da Santíssima Trindade, que a Igreja Católica celebra hoje.

O Papa convidou a “contemplar o mistério de Deus, que incessantemente cria, redime e santifica, sempre com amor e por amor, dando a cada criatura que o acolhe a capacidade de refletir um raio da sua beleza, bondade e verdade”.

“O cristão não é uma pessoa isolada, pertence a um povo, este povo que Deus forma. Não se pode ser cristão sem essa pertença e comunhão”, acrescentou.

O encontro concluiu-se com os tradicionais votos de bom domingo e bom almoço e o pedido de oração pelo Papa.

OC

Partilhar:
Share