Francisco deixa ainda mensagens a budistas e religiões originárias da Índia

Cidade do Vaticano, 16 mai 2018 (Ecclesia) – O Papa recordou hoje no Vaticano o início do Ramadão, o mês sagrado muçulmano que se inicia esta quinta-feira, desejando que o mesmo possa dar frutos espirituais.

“Que este tempo privilegiado de oração e jejum ajude a caminhar na estrada de Deus, que é o caminho da paz”, disse, no final da audiência pública semanal que decorreu na Praça de São Pedro.

A agenda do Papa começou com encontros privados dedicados ao diálogo inter-religioso, com responsáveis budistas da Tailândia e de religiões originárias da Índia.

Segundo Francisco, “diálogo e colaboração são palavras-chave nos dias de hoje” e é importante que os líderes religiosos “se comprometam em cultivar a cultura do encontro e dar exemplo de diálogo, colaborando efetivamente ao serviço da vida, da dignidade humana e da tutela da criação”.

No encontro com a delegação indiana havia representantes do budismo, hinduísmo, jainismo e sikhismo, presentes em Roma para um Simpósio intitulado “Dharma e Logos. Diálogo e colaboração em uma época complexa”, que contou com a participação de cristãos.

O Papa sublinhou a sua satisfação pela iniciativa, alertando para crescimento de tensões e conflitos.

Francisco saudou depois uma delegação de monges budistas vindos da Tailândia, recordando a amizade entre os fiéis das duas religiões e desejando que sejam “testemunhas de valores de justiça, de paz e da tutela da dignidade humana”.

OC

Partilhar:
Share