Celebração do Dia Mundial da Paz destacou vários âmbitos em que esta se concretiza

Foto: Diocese de Coimbra

Coimbra, 02 jan 2019 (Ecclesia) – O bispo de Coimbra desafiou os católicos a assumir a “responsabilidade” que lhes compete na construção do bem comum, ao celebrar o Dia Mundial da Paz, no início de 2019.

“Que este seja o dia em que todos tomamos consciência da responsabilidade que nos cabe assumir livremente em favor do bem de todos; o dia em que rejeitamos qualquer vício instalado nos costumes pessoais e sociais; o dia em que nos comprometemos a tudo fazer para que a justiça e o bem comum se sobreponham a qualquer forma de particularismo ou corrupção”, referiu D. Virgílio Antunes, numa homilia divulgada pela diocese.

O responsável destacou que a paz se concretiza em vários âmbitos, como o “bem-estar pessoal, familiar e social”, a justiça, o diálogo, o respeito pelo ambiente e a espiritualidade “enquanto expressão maior da condição humana e da fé sobrenatural”.

“Peçamos, por isso, a bênção de Deus e a paz para cada um de nós, para as famílias, para os que exercem qualquer forma de autoridade ou de poder, para os que se dedicam às atividades políticas, para os líderes da sociedade”, apelou.

Na solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus, o bispo de Coimbra convidou os participantes na Missa a que presidiu na Sé Nova a acolher Jesus.

“Que Ele nos salve do egoísmo que nos faz pensar no nosso bem pessoal e enviar para segundo plano o bem dos outros e o bem comum”, disse D. Virgílio Antunes.

O prelado falou ainda dos perigos do “fariseísmo” de quem se julga salvo e de uma “espiritualidade fechada ao sobrenatural”.

“Que Santa Maria, Mãe de Deus, esteja presente na nossa caminhada deste ano que começa e nos conceda a verdadeira paz de Deus”, concluiu.

OC

Partilhar:
Share