Cidade do Vaticano, 17 jan 2019 (Ecclesia) – O Papa afirma na Mensagem para o Dia Mundial do Doente que os cuidados de saúde exigem “profissionalismo e ternura” e pede às instituições de saúde católicas para “salvaguardar mais o cuidado da pessoa que o lucro”.

“A dimensão da gratuidade deveria animar sobretudo as estruturas de saúde católicas, porque é a lógica evangélica que qualifica a sua ação, quer nas zonas mais desenvolvidas quer nas mais carentes do mundo”, escreve o Papa na mensagem publicada pela Sala de Imprensa da Santa Sé.

Para Francisco, as “estruturas católicas são chamadas a expressar o sentido do dom, da gratuidade e da solidariedade, como resposta à lógica do lucro a todo o custo, do dar para receber, da exploração que não respeita as pessoas”.

Francisco referiu que o XXVII Dia Mundial do Doente será celebrado de modo solene em Calcutá, na Índia, no dia 11 de fevereiro, e lembrou “com alegria e admiração” Santa Madre Teresa de Calcutá, “um modelo de caridade que tornou visível o amor de Deus pelos pobres e os doentes”.

LFS

Igreja/Saúde: É necessário «salvaguardar mais o cuidado da pessoa que o lucro» – Papa Francisco

 

Partilhar:
Share