Setúbal, 05 fev 2019 (Ecclesia) – Nas comemorações do IV Centenário da morte de Frei Agostinho da Cruz vai ser lançada uma “ampla antologia” da sua obra poética destinada a um “público abrangente”, organizada pelo escritor e investigador Ruy Ventura (comissário das Comemorações).

É já no próximo dia 14 de março de 2019 que se cumprem os quatrocentos anos da morte de um dos “maiores poetas de língua portuguesa”, Frei Agostinho da Cruz (1540- 1619), ocorrida em Setúbal, junto da igreja da Anunciada, no Bairro do Troino, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

Figura marcante na literatura no nosso país e também na espiritualidade, “nomeadamente franciscana e arrábida”, a sua memória será lembrada entre este ano e 2020 (480 anos do seu nascimento) num conjunto de iniciativas, promovidas ou apoiadas pela Diocese de Setúbal.

Além desta edição vai realizar-se “um recital de poesia”, no Convento da Arrábida, a 23 de março, com a leitura de poemas de Frei Agostinho da Cruz e de outros autores que espelharam nos seus versos aquele sacro-monte.

No dia 01 de junho realiza-se um colóquio sobre a vida e obra do poeta, em Sintra, localidade onde viveu mais de quarenta anos.

Em janeiro de 2020, D. José Tolentino Mendonça profere, em Setúbal, uma conferência sobre o poeta.

Nascido em Ponte da Barca e falecido em Setúbal, junto à igreja da Anunciada, Agostinho Pimenta – o seu primeiro nome – foi noviço no convento de Santa Cruz, na serra de Sintra, passando a habitar a partir de 1605 numa cela na serra da Arrábida, como eremita.

LFS

 

Partilhar:
Share