Reflexão, partilha, oração e convívio no programa para jovens dos 18 aos 35 anos

Foto: Taizé

Taizé, França, 18 ago 2018 (Ecclesia) – A Comunidade Ecuménica de Taizé (França) vai promover uma “semana de reflexão” para jovens dos 18 aos 35 anos – estudantes, trabalhadores, voluntários ou à procura de emprego – entre este domingo e 26 de agosto.

“O objetivo desta semana será de proporcionar que jovens na mesma faixa etária se encontrem e possam partilhar sobre o seu futuro à luz da fé”, explica a comunidade.

No seu sítio online, os monges de Taizé informam que o programa tipo de um dia da próxima semana começa às 08h15 com a oração da manhã e “uma reflexão bíblica no final”, na igreja, e depois é o pequeno-almoço.

A partir das 10h15, os jovens vão participar em ateliês temáticos ou em trabalhos e depois reúnem para a oração do meio-dia (12h20).

Da parte da tarde, regressam aos ateliês ou ao trabalho (15h15) e há também um tempo de partilha diário, em pequenos grupos, às 17h45; A oração da noite chega às 20h30.

“Diferentes convidados especiais vão dar o seu testemunho: Jovens de outros continentes, pessoas com experiências interessantes no plano da solidariedade, representantes de organizações internacionais ou de comunidades cristãs”, explica a comunidade.

Os workshops vão centrar-se centrados em temáticas, como: ‘Cuidar da Criação e da Justiça’; discernimento, “como fazer escolhas na vida”; comércio de armas e a ação dos cristãos; tráfico humano; cristãos na política ou um projeto em prisões de África.

“Aos mais novos, aos adultos e às famílias”, a comunidade ecuménica pediu para escolherem outra semana para irem a Taizé, “devido a este programa específico”.

A comunidade foi fundada por um jovem pastor protestante suíço em plena II Guerra Mundial, que se sentiu chamado a acolher os mais carenciados e a procurar a reconciliação entre as pessoas, a começar pelos cristãos

A comunidade de Taizé surge a 20 de agosto de 1940 e começou por acolher perseguidos políticos, judeus e mais tarde prisioneiros alemães, hoje é constituída por cerca de 100 irmãos das várias igrejas cristãs, incluindo a católica.

Roger Schutz, nasceu na Suíça em 1915, e quando tinha 25 anos foi para a França, país natal da sua mãe, e ficou na pequena aldeia de Taizé, a cerca de 360 quilómetros de Paris.

O irmão Roger que escreveu uma regra para os monges, inspirada na tradição beneditina e inaciana, foi assassinado a 16 de agosto de 2005 durante uma celebração na igreja da Reconciliação, por uma mulher romena com perturbações mentais.

CB

Partilhar:
Share