D. António Carrilho realçou também «paradoxos» da liturgia de Domingo de Ramos

D. António Carrilho bênção dos Ramos (Fotos: Duarte Gomes)

Funchal, 26 mar 2018 (Ecclesia) – O bispo do Funchal afirmou na homilia do Domingo de Ramos que nos sofrimentos de Jesus se podem ler «os da humanidade inteira» e alertou os jovens para uso “imoderado” das novas tecnologias.

“Os filhos, as crianças e os jovens precisam de mais carinho e de um abraço amigo do que da oferta do último grito da moderna tecnologia”, afirmou D. António Carrilho, citado pelo Jornal da Madeira.

O bispo do Funchal explicou que “a falta de amor”, “que gera solidões incontornáveis”, é um dos graves problemas do tempo atual e que essa situação “agrava-se entre os jovens”, devido ao uso “imoderado” das novas tecnologias.

Neste contexto, alertou para o “risco de isolamento e solidão digital” que as novas tecnologias podem suscitar e recordou que o Papa Francisco pede que “os fulgores da juventude” não se “apaguem na escuridão duma sala fechada, onde a única janela para olhar o mundo seja o computador ou o smartphone”.

D. António Carrilho explicou que a liturgia deste domingo “está cheia de paradoxos” que causam perplexão “perante o mistério de Deus-Amor”.

Na Sé do Funchal, explicou que logo depois da entrada triunfal de Jesus em Jerusalém dá-se a condenação à morte, “pedida pelos mesmos que o aclamaram”.

“Humilhação e obediência” são palavras a deter das leituras e do Evangelho de São Marcos destaca-se “surpresa, silêncio, tranquilidade, consciência sofrimento e da morte”.

“Nos seus sofrimentos podemos ler também os nossos sofrimentos e os da humanidade inteira: a traição de Judas; o abandono dos discípulos; os julgamentos nos tribunais e, por fim, a flagelação e a morte violenta na Cruz. Pena de morte para um inocente, que fez da vida uma doação constante ao Pai e à Humanidade”, desenvolveu D. António Carrilho na homilia que marcou o início da Semana Santa.

A bênção dos ramos realizou-se na igreja do Colégio e os fiéis seguiram em procissão para a Eucaristia na Sé.

O jornal diocesano divulga ainda que o novo Secretariado da Pastoral Juvenil do Funchal, recém-empossado pelo bispo diocesano, assinalou a 33ª Jornada Mundial da Juventude com a participação na Missa e a atividade intitulada ‘Não Temas’, aberta a todos os jovens.

CB/PR

Partilhar:
Share