Lisboa, 23 jan 2018 (Ecclesia) – A Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) distribuiu cerca de 1 milhão de Terços, que foram produzidos por artesãos e famílias cristãs da Terra Santa, aos peregrinos da Jornada Mundial da Juventude 2019 (JMJ), que decorre no Panamá.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, o secretariado português da AIS destaca que o arcebispo do Panamá, D. José Domingo Mendita, classificou esta iniciativa como “essencial”, porque “encoraja a oração” dos jovens e “contribui para ajudar os irmãos na Terra Santa”.

A oferta dos Terços aos jovens na JMJ 2019 contribui para a sobrevivência de cerca de duas centenas de famílias cristãs de Belém, que “receberam uma ajuda determinante em apoio à presença cristã na cidade onde Jesus nasceu”, explicou o diretor da AIS italiana, Alessandro Monteduro.

A fundação pontifícia contextualiza que “é bastante difícil a presença de cristãos na Terra Santa” e, desde a criação do Estado de Israel, em 1948, cerca de 350 mil cristãos abandonaram Belém, essencialmente, pelo “elevado nível de desemprego”, sendo o turismo e o artesanato “a grande fonte de rendimentos”.

Para além da distribuição de Terços na 34.ª JMJ no Panamá, a AIS informa que já colaborou noutras edições da Jornada Mundial da Juventude como com a distribuição de livros ‘Youcat’ e ‘Docat’, sobre a Doutrina Social da Igreja, e financiou a viagem de jovens de dioceses mais pobres ao encontro mundial de jovens.

Com o lema ‘Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua Palavra’, a Jornada Mundial da Juventude 2019 começou esta terça-feira, com a Missa inaugural presidida pelo arcebispo do Panamá; o Papa Francisco chega hoje ao país da América Central, estando o primeiro contacto com os jovens marcado para esta quinta-feira.

O encontro que termina este domingo conta com a participação de 300 portugueses de 12 dioceses e seis congregações e movimentos – Salesianos, Caminho Neocatecumenal, Equipas de Jovens de Nossa Senhora, Juventude Mariana Vicentina, Schoenstatt e Focolares.

Da delegação portuguesa fazem parte ainda 30 voluntários e seis bispos: D. Manuel Clemente, cardeal-patriarca de Lisboa; D. Joaquim Mendes, presidente da Comissão Episcopal do Laicado e Família e bispo auxiliar de Lisboa; D. José Cordeiro, bispo de Bragança-Miranda; D. Manuel Felício, bispo da Guarda; D. Nuno Almeida, bispo auxiliar de Braga; e D. Virgílio Antunes, bispo de Coimbra.

CB/OC

Partilhar:
Share