Missa Final reuniu centenas de milhares de pessoas no Panamá

Cidade do Panamá, 27 jan 2019 (Ecclesia) – O Papa Francisco presidiu hoje à Missa conclusiva da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no Panamá, perante centenas de milhares de pessoas, afirmando que os jovens são o “agora” da Igreja e devem assumir papel de liderança.

“Vós, queridos jovens, não sois o futuro. Gostamos de dizer que sois o futuro, não… sois o presente. Não sois o futuro de Deus, vós jovens sois o agora de Deus”, declarou, na homilia da celebração, que decorreu no Campo São João Paulo II, onde muitos participantes na JMJ 2019 passaram a noite, após uma vigília de oração.

“O teu espaço é hoje”, insistiu Francisco.

O pontífice desafiou os jovens a “tomar a palavra” nas comunidades, nas cidades, junto dos mais velhos: “Não amanhã, mas agora”.

A intervenção destacou a presença concreta e “diária” de Deus, que exige “fraternidade” e a saída do comodismo.

“Ele não quis manifestar-Se de modo angélico ou espetacular, mas quis dar-nos um rosto fraterno e amigo, concreto, familiar. Deus é real, porque o amor é real; Deus é concreto, porque o amor é concreto”, realçou o Papa.

Francisco pediu às comunidades católicos que não silenciem nem procurem “domesticar” os jovens, que são “profecia e anúncio do Reino de Deus”.

“Querer domesticar a Palavra de Deus é tentação de todos os dias”, advertiu.

A Missa foi concelebrada por 26 cardeais e 424 bispos; a primeira leitura foi proclamada por um jovem escuteiro, Pedro Luís Cabritam, do Patriarcado de Lisboa.

O coro de 301 elementos incluía cantores do Panamá, Nicarágua, Honduras, Costa Rica, Colômbia e Venezuela, acompanhados por 110 músicos, com idades entre os 15 e 35 anos, na sua maioria.

O Papa rezou depois diante da imagem da Virgem Maria, confiando-lhe, em oração, os participantes da JMJ: “Imploro a tua proteção sobre todos eles e sobre todos nós, para que todos, eles e nós, os mais velhos, possamos ser verdadeiros discípulos e missionários”.

Francisco despediu-se com um agradecimento aos responsáveis do Panamá e a todos os que apoiaram a realização do evento.

“E a vós, queridos jovens, um grande obrigado! A vossa fé e alegria fizeram vibrar o Panamá, a América e o mundo inteiro. Estamos a caminho: continuai a caminhar, continuai a viver a fé e a partilhá-la. Não vos esqueçais que não sois o amanhã, não sois o entretanto, mas o agora de Deus”.

A Missa concluiu-se com a entrega aos jovens de um terço em madeira de oliveira, produzido em Belém da Palestina, e uma oração pela paz no mundo.

Antes da bênção final foi feito o anúncio da próxima sede da JMJ, que vai decorrer em 2022, em Portugal.

OC

Partilhar:
Share