Bispo emérito de Viseu foi diretor da Pastoral Juvenil em Portugal

Viseu, 27 jan 2019 (Ecclesia) – D. Ilídio Leandro, bispo emérito de Viseu, considera que as Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ), que Portugal vai receber em 2022, são uma “inspiração para trabalhar com os jovens”.

O responsável foi diretor da Pastoral Juvenil, a nível nacional, considera que a Igreja “tem de se inspirar em São João Paulo II” para essa ação.

O Papa polaco foi o criado das JMJ e D. Ilídio Leandro, que participou em vários eventos deste género, reconhece que se “a Igreja quer apanhar os jovens” apenas na paróquia vai acabar por perdê-los, porque eles “saem para as universidades, os trabalhos, a internet”.

“Os jovens alargam-se ao mundo inteiro” e a Igreja tem de “trabalhar neste horizonte”, frisou à Agência ECCLESIA o bispo emérito de Viseu.

Para D. Ilídio Leandro, as JMJ vieram oferecer à Igreja Católica uma “inspiração para trabalhar com os jovens e dar-lhes perspetivas de valores e orientações”.

O responsável considera necessário “redescobrir o modo de formação permanente que não trate muito de temas e programas livrescos”, mas “perspetivar uma continuidade com aqueles que fizeram e fazem caminho”.

Às dioceses e paróquias cabe trabalhar “os jovens vindos do Crisma” porque eles ainda não estão integrados, ao contrário dos jovens que integram os movimentos, “que têm relações nacionais e internacionais”.

Segundo o bispo emérito de Viseu, Portugal sonhava “há muito tempo” com uma Jornada Mundial da Juventude no país, com “toda a abertura e aceitação”, mesmo “a nível político”.

A JMJ 2022 é, por isso, uma oportunidade “única, maravilhosa e que não pode ser perdida”, sustentou.

Os três anos de preparação, assinala o prelado, devem ser “empenhados e utilizados” para se “trabalhar com a juventude” e ajudar os jovens “a ter asas e sonhos”.

“É oportunidade de um renascer da Igreja em Portugal”, conclui.

O Vaticano anunciou hoje que a edição internacional da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) em 2022 vai ser acolhida por Portugal, na cidade de Lisboa.

“A próxima Jornada Mundial da Juventude vai decorrer em Portugal”, disse o cardeal Kevin Farrell, prefeito do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida (Santa Sé), na Missa de Envio e encerramento da JMJ 2019 no Panamá, presidida pelo Papa Francisco.

HM/LFS/OC

Partilhar:
Share