«Que um caminho nos conduza todos a Lisboa em 2022» afirmou D. José Domingo Ulloa, considerando a edição de 2019 «momento histórico»

Cidade do Panamá, 27 jan 2019 (Ecclesia) – O arcebispo do Panamá manifestou hoje uma “grande alegria” pela escolha de Lisboa para a realização da próxima Jornada Mundial da Juventude em 2022 e convidou os jovens do mundo a fazer “um caminho” lá em 2022.

“Convido os jovens do mundo para nos prepararmos e que um caminho nos conduza todos a Lisboa em 2022”, disse D. José Domingo Ulloa em declarações à Agência ECCLESIA.

Para o arcebispo do Panamá, a organização da JMJ é “uma graça para o país, para Portugal, e sobretudo para a Igreja”.

Ao expressar a sua gratidão pela escolha de Lisboa como sede da próxima JMJ, D. José Domingo Ullo desejou “felicidades” à organização portuguesa.

O arcebispo do Panamá fez também uma avaliação da realização da Jornada Mundial da Juventude para a Agência ECCLESIA, referindo que foi um “momento histórico” e uma demonstração de que os países pequenos não devem “ter medo” de organizar eventos desta dimensão.

“A grande conclusão é que, a partir da JMJ do Panamá, nenhum pequeno pode ter medo para organizar um grande evento”, disse D. José Domingo Ullo, repetindo uma ideia que afirmou na Missa de abertura da JMJ.

Para o arcebispo do Panamá, a experiência da JMJ constituiu também uma oportunidade para descobrir a “magnitude da Igreja Universal” e foi uma experiência da “força” dos jovens para transformar a sociedade e a Igreja.

A 34ª edição da Jornada Mundial da Juventude decorreu no Panamá, entre os dias 21 e 27; «Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua Palavra» foi o tema para o maior evento juvenil da Igreja Católica, que se realizou pela primeira vez na América Central.

PR

 

Partilhar:
Share