2000 jovens participaram na Missa de acolhimento, esta quarta-feira

Panamá, 17 jan 2019 (Ecclesia) – O arcebispo do Panamá presidiu esta quarta-feira à Missa de acolhimento dos 2000 voluntários internacionais da Jornada Mundial da Juventude, que viveram a primeira “experiência de JMJ”.

Tomás Virtuoso, um dos voluntários portugueses que estão há 10 dias no Panamá na preparação da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), disse à Agência ECCLESIA que a Eucaristia foi um “suplemento de alma”, após uma primeira etapa de trabalho.

“Depois de mais de 10 dias a trabalhar, foi bom ter um suplemento de alma e um bocadinho da experiência do que vão ser as jornadas”, afirmou Tomás Virtuoso.

A Missa de acolhimento dos voluntários internacionais foi concelebrada, entre outros, pelo bispo auxiliar de Lisboa, D. Joaquim Mendes, que se encontra na cidade da América Central para participar na JMJ.

Na homilia da Missa, o arcebispo de Panamá valorizou o “trabalho discreto e escondido” do voluntariado, desafiando-os “a estar, a servir e a amar”,vivendo a “espiritualidade da desinstalação”, referiu Teresa Folhadela, também voluntária de Portugal na JMJ.

“Cheio de alegria e olhar apaixonado pelo Senhor que tanto caracterizam este Pastor da Igreja do Panamá, falou-nos sobre a ‘Espiritualidade da desinstalação’, que o Papa Francisco tanto referiu nas anteriores jornadas, em Cracóvia, onde todos somos convidados a sair do sofá e sermos titulares em campo”, acrescentou.

“Pôr-se a caminho é também sair da nossa casa, do nosso país e como voluntários internacionais estarmos pronto a servir”, referiu Teresa Folhadela.

A Jornada Mundial da Juventude decorre na cidade do Panamá entre os dias 22 e 27 de janeiro; cerca de três centenas de participantes são portugueses e, para além do programa da JMJ, vão promover um encontro do grupo de Portugal no dia 25 de janeiro, na Igreja de Nossa Senhora de Lourdes.

PR

Partilhar:
Share