Lisboa, 17 jan 2019 (Ecclesia) – O Governo português classificou como “monumento de interesse público” a Igreja da Sagrada Família, no Bairro da Tabaqueira, em Albarraque, concelho de Sintra, do Patriarcado de Lisboa.

A decisão foi publicada esta terça-feira, em Diário da República, e alarga-se ao “património móvel integrado” reconhecendo o “carácter matricial do bem, o génio do respetivo criador, o interesse como testemunho simbólico e religioso, o valor estético, técnico e material intrínseco, bem como a conceção arquitetónica, urbanística e paisagística”.

Construída em 1965, a Igreja da Sagrada Família, junto ao bairro operário da Tabaqueira, tem projeto do arquiteto Jorge Viana.

“O espaço ocupado pelos fiéis de geometria hexagonal, rejeita o esquema organizativo longitudinal tradicional, optando por uma disposição dos bancos tão larga quanto extensa, mas mais próxima, do altar, respondendo, quer ao programa traçado pelo Secretariado das Novas Igrejas do Patriarcado, quer aos pressupostos resultantes do Concílio Vaticano II”, assinala a portaria 81/2019.

O interior da igreja apresenta azulejos de Lima de Freitas e Jorge Viana, um sacrário de Graziela Albino,  estatuária de Maria do Carmo d’Orey e Graça Costa Cabral, bem como um retábulo do atual bispo de Beja, D. João Marcos (‘Anastasis’ [Ressurreição de Cristo], pintura sobre madeira).

OC

Partilhar:
Share