Comissão Episcopal do Laicado e Família publica mensagem para o dia 14 de fevereiro

Lisboa, 12 fev 2019 (Ecclesia) – A Comissão Episcopal do Laicado e Família (CELF), da Igreja Católica em Portugal, alertou para o aumento da violência no namoro, numa mensagem divulgada por ocasião do dia de São Valentim, que se assinala esta quinta-feira.

“Preocupa-nos a crescente violência no namoro, porque compromete um projeto familiar alicerçado no verdadeiro amor”, assinala o documento, enviado à Agência ECCLESIA

A nota sublinha a importância do tempo de preparação para o matrimónio, considerando que o namoro pode apresentar “um conjunto de momentos fundadores de uma relação para toda a vida e pela qual se dá a vida”.

A Igreja saúda-vos e acompanha-vos com esperança, pois conta convosco para a constituição de novas famílias fortes na fé, na alegria e no amor fecundo, na certeza que é assim que Deus vos sonha e deseja contar convosco”.

A CELF apresenta o namoro como um tempo de descoberta mútua, no qual se partilham “escolhas, sonhos e projetos”.

“O tempo do namoro é decisivo, porque leva à descoberta da beleza do amor pela dádiva da vida, por isso, requer tempo, delicadeza e seriedade, que geram confiança, estima e respeito”, pode ler-se.

O organismo católico conclui com uma referência ao facto de o “Dia dos Namorados” ser festejado sob a invocação de São Valentim, um santo da península itálica, do século III, que que teria apoiado os jovens no matrimónio, contra a ordem do imperador que os impedia de casar, para servirem o exército romano.

O Governo português apresentou hoje a campanha #NamorarMemeASério pela eliminação da violência no namoro, com o objetivo de identificar alguns dos comportamentos que são demonstrativos de situações de violência, seja física, psicológica ou sexual.

Mais de metade dos jovens que namoram ou namoraram dizem já ter sofrido uma qualquer forma de violência por parte do companheiro e 67% acham isso natural, motivo para uma nova campanha pelo fim da violência no namoro.

A campanha é apresentada hoje, tal como os resultados do estudo nacional sobre a violência no namoro, feito pela União de Mulheres Alternativa e Resposta, com o apoio da Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Rosa Monteiro.

Liturgicamente, 14 de fevereiro é o dia da festa de São Cirilo e de São Metódio, mas na Itália a Diocese de Terni celebra o seu padroeiro, São Valentim, primeiro bispo desta localidade, que morreu como mártir, provavelmente no século IV.

Este nome está ligado a algumas lendas, as quais Valentim teria morrido decapitado a 14 de fevereiro por se ter recusado a renunciar ao Cristianismo e por, secretamente, ter celebrado o casamento entre uma jovem cristã e um legionário, apesar da proibição de Cláudio II (século III).

OC

Partilhar:
Share